Quarta-feira, 29 Maio

As Forças Armadas e a PF (Polícia Federal) destruíram um acampamento, dois motores e uma motosserra utilizados para garimpo ilegal na Terra Indígena Yanomami, em Roraima. A ação foi realizada no âmbito da Operação Catrimani II, do Ministério da Defesa.

A missão Nake III, articulada pela Casa de Governo, exigiu quatro horas de voo por meio de um helicóptero HM-1 Pantera do Exército Brasileiro, e encontrou desafios extras devido ao dia chuvoso, o que dificultou o avanço na mata densa.

O acampamento, recém-instalado, era conhecido como Garimpo Parima, e foi identificado pelo Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam). Nele, também foi encontrada uma pista de pouso irregular construída recentemente.

O chefe do Estado-Maior Conjunto da Operação Catrimani II, brigadeiro do ar Steven Meier, afirmou que a cooperação é fundamental para a efetividade no combate ao garimpo ilegal. “As Forças Armadas continuarão trabalhando em estreita coordenação com órgãos de Segurança Pública e Agências”.

A operação foi realizada na manhã de quinta-feira (9), mas só foi divulgada nesta segunda-feira (13). Naquele mesmo dia, a FAB (Força Aérea Brasileira), por meio da aeronave C-98 Caravan, realizou o transporte de materiais como combustível, água e suprimentos para o 4º Pelotão Especial de Fronteira, do Exército, na região de Surucucu, no território indígena.