Sexta-feira, 14 Junho

Definitivamente, estudar nas escolas municipais de Apuí virou um tormento para pais e alunos. Novas denúncias contra a gestão do prefeito Marcos Lise chegaram à nossa redação nesta segunda-feira (10).

Na zona urbana, os estudantes anda mais de 2 quilômetros, no sol e na chuva, após um ônibus quebrar e dois sofrerem curto-circuito. Na zona rural, a situação não é melhor: denúncias de pais mostram que as crianças precisam acordar 3h30 da madrugada para pegar o ônibus, e só voltam para casa à noite, após ficarem quatro meses sem aulas.

“Meu filho acorda às 3h30 e chega em casa dormindo, depois das 20h, de tão cansado”, diz uma mãe, que pediu pra não ser identificada

No mês passado nossa equipe de reportagem mostrou com exclusividade que alunos da zona rural estavam sem aula por falta de professores e servidores nas escolas. Na época, a Prefeitura culpou o Ministério Público e o Tribunal de Contas do Estado (TCE), que foram chamados de “sistema” pelo secretário.

Leia mais: Em Apuí, prefeito e secretário deixam zona rural sem aula em 2024 e culpam ‘o sistema’

Nesta segunda-feira, pais e alunos foram recomendados a ter paciência. Quem fala no vídeo ao qual tivemos acesso é o Coordenador do transporte escolar, Gilsemar Silva Mota. Os veículos não estão rodando desde terça-feira da semana passada:

De acordo com o IBGE, o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de Apuí é de 0,637, abaixo da média do Brasil, de 0,760. Isso é 16% mais baixo que a maioria dos municípios brasileiros

De acordo com pais ouvidos anonimamente pelo Portal Alex Braga, prefeito e secretário pressionam para que não reclamem do transporte, já que Lise é candidato à reeleição na cidade. Mas eles criaram um grupo ao qual nossa reportagem teve acesso, onde as reclamações comprovam a dificuldade em manter os filhos nas escolas públicas da cidade.

Um vídeo mostra a situação de um ônibus que leva os alunos de casa para a escola. Foi gravado por um pai preocupado com a segurança.

Silêncio total

Apesar das reclamações, o prefeito Marcos Lise e o secretário de Educação, Cleves Pires, preferiram o silêncio. Além de mandar o coordenador gravar o vídeo, nenhum dos dois se dispôs a dar satisfação aos pais e alunos.

Nesta segunda o secretário visualizou nosso pedido de entrevista, mas preferiu ignorar o assunto. Na rede social, o prefeito se apresenta como um homem que sempre se preocupou com o próximo, ainda que deixe seus cidadão a pé.

Leia mais: Novos contratos revelam mais “parcerias” pagas pelo contribuinte entre atual e ex-prefeito de Apuí

Sem saber quando voltarão a estudar na zona urbana, e como motivar os filhos na zona rural a acordar 3 horas da madrugada e só voltar para casa à noite, resta aos pais orar para que nas próximas eleições, uma nova gestão municipal consiga cumprir o que diz a Constituição, sobre o direito de estudar, uma obrigação do Estado.