Sexta-feira, 14 Junho

O arquivamento do processo de cassação do deputado André Janones (Avante-MG), na Câmara dos Deputados, nesta quarta-feira (5), causou confusão entre os parlamentares, destacando a troca de ofensas entre os deputados Nikolas Ferreira (PL-MG) e Janones.

As discussões entre parlamentares aconteceu após o Conselho de Ética da Câmara, determinar o arquivamento da cassação de Janones pelo crime de rachadinha. Com um total de 12 votos a favor e 5 contrários ao arquivamento.

Após o encerramento a discussão se intensificou entre Nikolas Ferreira e Janones que trocaram ofensas na Casa ao ponto de terem que ser impedidos pelos próprios assessores a uma agressão física.

O relator do processo, o pré-candidato à prefeitura de São Paulo, o deputado Guilherme Boulos (PSol-SP), recomendou o arquivamento, através de Parecer Preliminar da bancada federal do Partido dos Trabalhadores (PT), e afirmou que o conselho não pode julgar atos anteriores ao mandato atual.

“O relatório não entra no mérito. Existem precedentes de casos que ocorreram antes da atual legislatura que sequer foram trazidos ao Conselho de Ética, como os dos atos do Oito de Janeiro. Não pode ter dois pesos e duas medidas”, argumentou.

@nikolas_dm | Twitter

Em sua defesa, Janones reclamou que os deputados da oposição tentaram intimidar os membros do Conselho de Ética a votar contra ele. E ainda, acusou um ex-assessor de adulterar o áudio usado na denúncia.

Após o vazamento de áudio de André Janones ser divulgado, o Partido Liberal (PL) apontou que o parlamentar cobra parte do salário dos servidores lotados em seu gabinete, prática de um esquema ilegal conhecido como “rachadinha”.