Quarta-feira, 29 Maio

Perguntar não ofende.

Qual motivação está por trás do silêncio dos órgãos de controle e da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR), quanto as reiteradas práticas de improbidade administrativa praticadas pela primeira-dama do estado Simone Denarium?

Essas denúncias graves de desrespeito à lei, de apropriação de recursos públicos, de prática de nepotismo e de fraude na eleição do Tribunal de Contas do Estado (TCE-RR), precisam ser apuradas com rigor.

Falando em Tribunal de Contas, por que os Conselheiros ainda não se manifestaram contra as ilegalidades latentes apresentadas, já que o Tribunal é a parte mais interessada no processo de escolha de um de seus membros?

Quando o Ministério Público irá ingressar com uma ação de improbidade administrativa contra a esposa do governador?

Será que todo esse silêncio se dá em virtude da candidata ser esposa do governador do Estado?

Essas perguntas precisam ser respondidas afinal de contas nas quatro impugnações apresentadas pelo Deputado Jorge Everton e advogados, existem provas robustas da gravidade desses atos.