Quarta-feira, 24 Julho

O presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva se posicionou, nesta quarta-feira (12), sobre o indiciamento do ministro das Comunicações Juscelino Filho, pela Polícia Federal por crimes de corrupção e disse que o político “tem o direito de provar que é inocente”.

Com a situação, Lula revelou que o indiciamento de Juscelino pela PF, não é a confirmação de que ele tenha cometido crime, mas sim, que ele foi alvo de denúncia aceita pela PF.

“Eu acho que o fato do cara ser indiciado não significa que o cara cometeu um erro. Significa que alguém está acusando, e que a acusação foi aceita. Agora, eu preciso que as pessoas provem que são inocentes” disse Lula.

O ministro das Comunicações de Lula, também se posicionou de forma semelhante, afirmando que ser alvo da Polícia Federal não lhe imputa culpa de crime. Segundo ele, ainda a ação é “política” e “previsível”.

O partido União Brasil também se pôs ao lado do seu correligionário, e apontou em nota oficial que o relatório da PF é “parcial” e que menciona “vazamentos seletivos” e “descontextualizados”. E diz em outro trecho da nota: “o União Brasil reafirma seu apoio ao ministro Juscelino Filho e sua confiança na Justiça, o único órgão competente para julgar”.