Sexta-feira, 14 Junho

Manaus – O vereador Capitão Carpê (PL), mentiu nas redes sociais quando afirmou que o seu ex-assessor, Ítalo Renan Sena, não foi flagranteado.

Conforme matéria publicada pelo Portal Alex Braga, no último dia 10, deste mês, Italo Rennan Sena da Silva (ex-assessor do vereador Carpê), foi preso no bairro Santo Agostinho, zona oeste de Manaus, durante uma ação policial.

Na ocasião, a Polícia Militar do Amazonas (PMAM), por meio da 8ª Companhia Interativa Comunitária (CICOM), prendeu dois homens, sendo um de 19 anos e Ítalo Renan Sena da Silva, de 33 anos, além de apreender um adolescente de 17 anos, com duas pistolas calibre 9 milímetros com dois carregadores alongados contendo 43 munições em um carro.

Ítalo Renan, era assessor parlamentar do vereador ‘Capitão Carpê’, até dezembro do ano passado.

O que chama atenção é que quando Carpê atuava na polícia militar, era lotado na 8ª Companhia Interativa Comunitária (CICOM), a mesma que efetuou a prisão de seu ex-assessor.

Leia mais: Ex-assessor do vereador Capitão Carpê é preso por porte ilegal de arma e associação criminosa

De “testemunha” a prisão em flagrante, é mentira Capitão?

Após um vídeo publicado no perfil do Alex Braga, o vereador Carpê apareceu respondendo que: ‘Ítalo’ foi apresentado na ocorrência apenas como testemunha, por que estava apenas dirigindo o veículo e alegou ser motorista de aplicativo, se quer ele foi flagranteado“, explicou.

Foto: Print redes sociais Alex Braga

Bom, parece que o vereador não fez muito bem o trabalho de casa, não é essa a informação que o Núcleo Investigativo do Portal Alex Braga, recebeu ao pesquisar no Jus Brasil o nome de Ítalo Renan Sena da Silva e da própria Policia Civil do Amazonas (PC-AM).

Segundo informações do Jus Brasil, o processo que o ex-assessor responde é por Crimes do Sistema Nacional de Armas, de natureza Prisão em Flagrante.

Nota de culpa

O Portal do Alex Braga, teve acesso com exclusividade à nota de culpa onde é possível ver os detalhes da prisão de Ítalo Renan Sena, e os crimes nos quais ele foi enquadrado.

O Portal do Alex Braga, consultou um advogado especialista na área criminal, que nos informou que possivelmente Ítalo passou por audiência de custódia o que é de praxe, já que não foi um crime com violência ou resistência e que o envolvido pode ter solicitado o Acordo de Não Persecução Penal (ANPP).

*ANPP é um novo dispositivo que demostra a tendência do judiciário Brasileiro a um modelo de justiça consensual negociada, buscando evitar o encarceramento de quem comete infrações de menor gravidade, confessa o erro e, se possível, o repara.

Como o próprio nome já remete, o acordo de não persecução penal (ANPP) como sendo o pacto obrigacional celebrado entre o Ministério Público e o investigado, desde que assistido por advogado constituído ou nomeado, homologado pelo magistrado competente, no qual o até então investigado ou indiciado assume a autoria e materialidade da conduta penal descrita nos autos, aceitando cumprir condições menos custosas do que a sanção penal aplicável ao fato a ele imputado.

Envie sua denúncia ou sugestão de reportagem por meio da nossa linha direta: (92) 98245-1581