Sexta-feira, 14 Junho

O prefeito de Apuí, Marcos Antônio Lise (UNIÃO BRASIL), e o ex-prefeito Antônio Roque Longo, de quem ele foi vice na gestão anterior, decidiram manter a parceria firme e forte na gestão municipal. Uma denúncia que chegou ao Portal Alex Braga mostra que chefe do Executivo assinou o aluguel de um caminhão do amigo por R$ 625 mil com verba paga pelo contribuinte, em mais um capítulo do revezamento de poder protagonizado pelos dois políticos na cidade.

Nas redes sociais, o prefeito tem usado o caminhão do amigo e aliado, para mostrar trabalho. “O sucesso não vem de graça”, diz Lise. Na denúncia recebida com exclusividade, o prefeito aproveita o serviço contratado junto ao ex-prefeito para vangloriar a própria gestão, durante a montagem do portal da cidade.

Mas não cita o vice como beneficiário do “sucesso”. A empresa para quem o caminhão foi alugado está inscrita na Receita Federal tendo como principal atividade obras de terraplanagem, sediada na cidade onde Lise e Longo dividem os holofotes do poder municipal.

Na postagem, porém, o prefeito não cita que o município está pagando caro pelo veículo, conforme mostra o contrato de 12 meses assinado por ele.

Ex-prefeito que alugou caminhão para o prefeito

O caminhão tipo munck que custa aos cofres públicos R$ 625.000,00 (seiscentos e vinte e cinco mil reais) anuais, substitui um zero quilômetro que poderia ser comprado e incorporado à frota municipal.

Um pelo outro

O aluguel do caminhão nada mais é do que uma parceria forte e duradoura. O atual prefeito era vice à época em que Antônio Roque Longo foi prefeito de Apuí, um município com pouco mais de 20 mil habitantes. Na eleições, porém, um acordo abriu caminho para que o ex-prefeito abrisse mão da reeleição a favor do atual.

Roque Longo desistiu de ir à reeleição para apoiar o seu então vice e ,apesar de deixar a administração segue faturando como concessionária do amigo de todas as horas.

Serviços para outras empresas?

De acordo com a denúncia enviada ao portal, o caminhão da A. R. Longo é usado para executar serviços para outras empresas que também executam serviços para a Prefeitura, o que configuraria desvio de função.

É possível comprovar o suposto desvio de recursos nas próprias postagens nas redes sociais do prefeito Marcos Lise. No dia 23 janeiro de 2024 , ele mesmo exibiu o caminhão descarregando uma tora oca de madeira para usar como bueiro numa estrada vicinal.

Ainda de acordo com a denúncia, o caminhão com o número de chassi 9533172S2BR104887 é um veículo sob suspeita de ser da empresa RJ Engenharia e Comércio LTDA.

Uma Jurisprudência da Justiça Federal do Distrito Federal afirma que “é vedado ao depositário fazer uso em proveito próprio de veículo confiado a sua guarda, salvo expressa autorização nesse sentido”.

Não há registros de que a A. R. Longo tenha esta autorização para utilizar este caminhão em benefício próprio.

A última atualização do veículo no sistema de trânsito foi em 2019, às 17h29min15seg, época em que o proprietário da RJ Engenharia e Comércio LTDA ainda era vivo.

O OUTRO LADO

Até a publicação desta matéria nossa equipe de reportagem tentou falar com o prefeito por telefonem e com a Prefeitura por e-mail, mas sem sucesso. Também tentamos contato com o ex-prefeito, que não respondeu nossas chamadas.

Mas o espaço segue aberto para que Lise manifeste seu posicionamento sobre a denúncia. Semana passada, mostramos que a gestão Lise deixa os alunos da zona rural sem até este mês de maio. Nos próximos dias, mais denúncias sobre possíveis irregularidades na prefeitura de Apuí apuradas por nosso núcleo de investigação serão publicadas pelo Portal.

Leia mais: Em Apuí, prefeito e secretário deixam zona rural sem aula em 2024 e culpam ‘o sistema’