Domingo, 26 Maio

A aquisição de caminhões, carros e motocicletas custará mais de R$ 14,5 milhões aos cofres públicos da Prefeitura de Parintins, no Amazonas, a qual é comandada pelo prefeito Bi Garcia (União Brasil).

As informações constam no despacho de homologação referente ao Pregão Presencial Nº 24/2023, divulgado no Diário Oficial dos Municípios do Amazonas (AAM), no último dia 16 de maio, porém, não fica claro dentre as informações, para quais secretarias serão distribuídos estes veículos e em quais atividades os mesmos serão empregados.

Entre as aquisições, estão: caminhões com tração; vans; micro-ônibus; carros utilitários modelo “Spin”; picapes com tração, modelos “S-10 e S-10 4X4”; além de motocicletas modelos “Bros”. As empresas vencedoras deste pregão estão instaladas em Manaus, são elas: a Mardisa Veículos S.A e a Speedy Representações Comércio e Serviços de Automóveis Eireli.

A Mardisa é inscrita no CNPJ Nº 63.411.623/0008- 43, quanto aos nomes dos sócios e o capital social não há a divulgação, por se tratar de uma “Sociedade Anônima Fechada (S/A)”. Pelo fornecimento de 7 unidades de caminhões com tração 4×2 185 CV; 7 unidades de caminhão com tração 4X2 163 CV; 5 unidades de micro-ônibus com acessibilidade e 3 unidades de van sem acessibilidade, vai receber o valor de R$ 9.468.000,00 (nove milhões e quatrocentos e sessenta e oito mil reais).

Já a Speedy Representações é inscrita no CNPJ Nº 36.544.507/0001-53 e tem como responsável a empresária Milly Ozaki Fukushima, com capital de R$ 900 mil, segundo a Receita Federal. A empresa vai receber o valor de R$ 4.963.000,00 (quatro milhões novecentos e sessenta e três mil reais) para fornecer 10 unidades de utilitários sem acessibilidade, modelo Spin; 10 unidades de picapes, sendo 5 no modelo S-10 e 5 S/10 4X4; além de 20 motocicletas modelo Honda Bros.

Ao todo, os dois contratos somam um montante de R$ 14.431.000,00 (quatorze milhões quatrocentos e trinta e um mil reais).

Denúncias recentes

A gestão do prefeito Bi Garcia vem recebendo diversas denúncias nos últimos meses, algumas delas pela vereadora Brena Dianná (União Brasil), que vem levantando as divergências encontradas nas contratações realizadas pelo Poder Executivo. As mais recentes são referentes a possíveis fraudes na contratação de transporte escolar. Em uma delas a parlamentar questiona o fato de a empresa vencedora ter registrado apenas um veículo com capacidade para cinco pessoas, o que não condiz, segundo a mesma, com a realidade do município.

Já a outra denúncia diz respeito a uma obra inacabada na orla da cidade mesmo já tendo recebido verbas estaduais de mais de R$ 2,3 milhões. Brena Dianná encaminhou um requerimento, solicitando a presença do secretário municipal de obras do município e do prefeito, junto à Câmara de Vereadores, a fim de que expliquem ou justifiquem os motivos pelos quais a obra não foi finalizada.

Veja na integra