Sexta-feira, 14 Junho

A Polícia Civil de Roraima confirmou na tarde desta quarta-feira (15), que as vozes gravadas na cena do duplo homicídio do casal  Flávia Guilarducci, de 50 anos, e Jânio Bonfim de Souza, de 57, são do empresário Caio de Medeiros Porto, de 32 anos, e do capitão da Polícia Militar, Helton John da Silva de Souza, 47, ex-segurança do governador Antônio Denarium.

A informação foi confirmada pelo diretor de Criminalística, Estefânio Ribeiro. As vozes deles foram gravadas no celular de Flávia, que ligou o gravador no momento em que a casa foi invadida, momentos antes dos tiros.

“A partir do momento que fizemos o confronto dos padrões fonéticos e fonológicos, […] todos os parâmetros se mostraram convergentes para que o mesmo aparelho fonador pertencesse a pessoa que estava nesse áudio, supostamente, do local do crime no Surrão”, disse Ribeiro.

Leia mais: Suspeito de duplo homicídio, empresário tem prisão temporária decretada pela justiça de Roraima

O delegado titular da Delegacia-Geral de Homicídios, João Evangelista, pediu ajuda para prender Caio, que teve a prisão decretada mas segue foragido. O duplo homicídio é investigado como um crime ligado à grilagem de terras em Roraima, suspeita denunciada em primeira mão pelo portal do Alex Braga.

A análise ainda está em andamento, não posso afirmar que realmente que foram os quatro [suspeitos] que foram antes [à residência], nem que não foram. O certo é, pelo menos dois, o policial militar e o Caio estiveram na cena. Isso é fato. [A voz de quem fala ‘eu estou armado mesmo’] em tese, é do Caio.afirmou o delegado da DGH.

A polícia ainda não sabe quem atirou no casal, “não é assertiva, mas há possibilidade de mais de um”. Segundo as investigações, Johnny de Almeida Rodrigues esteve com Caio e Genivaldo Lopes na compra de munições. De todos os suspeitos, apenas Caio está foragido. Os demais estão todos presos.

O ataque aconteceu na vicinal do Surrão, no município de Cantá, no dia 23 de abril. Jânio foi atingido no abdômen e a esposa dele na cabeça e na boca.

Leia mais: Suspeito de duplo homicídio, empresário tem prisão temporária decretada pela justiça de Roraima