Terça-feira, 28 Maio

No último fim de semana, um indígena Yanomami, de 36 anos, morreu e outros dois, de 24 e 31 anos, foram baleados por garimpeiros ilegais na comunidade Uxiú, dentro da Terra Indígena Yanomami. Com exclusividade, o Sem Mordaça questionou o governador Antonio Denarium sobre o seu possível envolvimento com o garimpo ilegal.

As três vítimas foram baleadas por garimpeiros que atuam na região, segundo informou o presidente do Conselho Distrital de Saúde Indígena Yanomami e Ye’kwana (Condisi-YY), Júnior Hekurari Yanomami.

Os indígenas foram socorridos de Uxiu por equipes que atuam em Surucucu, onde há uma unidade de referência em saúde, por volta de 15h30, do último sábado (28).

Ferido gravemente na cabeça, Ilson Xiriana chegou à unidade desacordado, não resistiu e morreu no final da tarde de  domingo. Ele atuava na região como agente indígena de saúde (AIS). Os outros dois feridos foram removidos e encaminhados para tratamento médico na capital Boa Vista. 

Os garimpeiros, segundo as primeiras informações recebidas por Hekurari, chegaram à comunidade Uxiu e abriram fogo. “Alguns estavam encapuzados”, afirmou ele, com base no relato de um dos feridos.

O secretário de Saúde Indígena – órgão ligado ao Ministério da Saúde, Weibe Tapeba, disse ter acionado os ministros responsáveis por questões indígenas para apurar o caso.

A área disputada por garimpeiros e financiadores e simpatizantes pelo garimpo ilegal está a cada dia ficando mais perigosa.

Governo Federal

No início do ano, após a visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a situação foi presenciada de perto onde foi relatada mortes e desnutrição de yanomamis. 

Um dia antes do novo conflito, o presidente publicou no seu twitter que “O estado de Roraima virou manchete nacional com grande repercussão do caso” e após esse acontecimento, familiares do governador foram envolvidos na operação da Polícia Federal. A irmã e sobrinho são suspeitos de praticarem lavagem de dinheiro oriundo do ouro ilegal.

Simpático ao garimpo, Denarium também já tentou emplacar duas Leis para beneficiar os garimpeiros. Uma que impedia a destruição de maquinários apreendidos pelo IBAMA e outra, buscou a tentativa de legalizar o garimpo no estado. Ambas foram derrubadas pelo Ministério Público Federal (MPF). 

Denarium previa 50 hectares de licenciamento ambiental para cooperativas de garimpeiros, mas o deputado estadual Éder Lourinho ampliou para 200 hectares, quatro vezes mais espaço para exploração e extração de minérios.

Uma equipe Interministerial, esteve em Roraima motivados pelo atentado contra indígenas Yanomami. A equipe acompanhada pela ministra da saúde, Nísia Trindade e pelo governador Denarium, estiveram  no Hospital Geral de Roraima (HGR). 

Na ocasião, mediante as suspeitas de seu envolvimento com o garimpo ilegal, a repórter Lina Teixeira questionou ao governador Antonio Denarium sobre o possível envolvimento dele com a prática. “Isso não procede”, respondeu.