Terça-feira, 28 Maio

Com denúncias que apontam irregularidades na candidatura da esposa do governador Antonio Denarium. Diante de todas as denúncias protocoladas na Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR) sobre Simone Denarium, ao cargo de conselheira do Tribunal de Contas, mesmo assim a Comissão da Casa Legislativa manteve Simone como candidata. 

Simone havia recebido três pedidos de impugnação contra sua candidatura por irregularidades no currículo, falta de requisitos para a vaga de conselheiro, além da prática de conduta inadequada aos agentes públicos .

Também uma ação popular movida pelo advogado Marco Vicenzo  pedindo a anulação da inscrição da esposa do governador, mas que teve seu pedido liminar indeferido pelo Juiz. Na fundamentação da decisão a justiça declara que o Advogado não comprovou o vínculo conjugal da primeira-dama Simone “Denarium” com o Governador do Estado 

Já o advogado Manoel Leocádio que provocou o pedido de impeachment do governador levando para seis, o número de pedidos de afastamento de Denarium na sua denúncia também pediu a imediata suspensão da candidatura de Simone e ainda que seja condenada por crime de responsabilidade por atos contrários a probidade na administração pública.

As denúncias foram amplamente divulgadas pela imprensa e todos os meios de comunicação  e ainda mediante a prática que vem se espalhando por vários estados  , Insatisfeitos com a decisão de governadores em indicar a própria esposa ao cargo de Conselheira do TCE, o presidente da Associação Nacional dos Auditores de Controle Externo dos Tribunais de Contas do Brasil, Ismar Viana, informou que vai recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) para questionar os limites legais em indicações de parentes de autoridades para tribunais de contas nos Estados e municípios. 

O advogado Jorge Mário questiona a decisão. Marco Vicenzo autor de três pedidos de impeachment do governador e autor da ação popular  que pedia a anulação da candidatura de Simone também se manifestou.

A denúncia de violação dos princípios administrativos também foi protocolada no MPF pelo advogado Manoel Leocádio. Agora é aguardar os órgãos fiscalizadores e a decisão de quem será eleito conselheiro.

Em plenário na ALE-RR, o candidato à vaga de conselheiro e ainda deputado estadual Jorge Everton em seu discurso chamou atenção da comissão quanto às provas apresentadas contra a candidatura de Simone.