Domingo, 26 Maio

Sem previsão de finalizar a reforma da única maternidade de Boa Vista, o Governo de Roraima perdeu R$ 17 milhões de recursos de emendas parlamentares para serem investidos em melhorias na saúde pública. A Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR) informou que vai investigar o caso.

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (Sesau), após o início da reforma da Maternidade Nossa Senhora de Nazareth, utilizou um terreno cedido pela Prefeitura de Boa Vista para instalar a “maternidade de lona”, que custa milhões por mês e é foco de diversas denúncias. 

Em 5 de junho de 2021, a maternidade começou a funcionar no terreno cedido pelo município enquanto a reforma fosse realizada e concluída. Os pacientes foram transferidos e na ocasião, o governador Antonio Denarium declarou que a situação duraria apenas cinco meses.

O estado de Roraima perdeu emendas parlamentares no valor de R$ 17 milhões, atrasando ainda mais a entrega da unidade hospitalar. A Comissão de Saúde e Saneamento de Roraima da Assembleia Legislativa (ALE-RR) detectou a falha.

No próximo mês, completará dois anos de funcionamento da “maternidade de lona” e a obra no prédio de maternidade não tem previsão de ser concluída. Enquanto isso, centenas de mães sofrem com o descaso dos atendimentos, falta de medicamentos e equipamentos, além de serviço de qualidade. 

Sem o Estado desocupar o local cedido provisoriamente, a Prefeitura de Boa Vista poderá perder uma emenda parlamentar de R$ 5,2 milhões para a construção de um bloco administrativo para o Hospital da Criança Santo Antônio, que deveria ser construído na área.

Ou seja, a Secretaria Municipal de Saúde está impossibilitada de ampliar o hospital infantil, garantindo mais leitos para atendimento às crianças de Boa Vista.