Terça-feira, 28 Maio

Nos primeiros meses do primeiro mandato de Antonio Denarium, o governador de Roraima transferiu 400 mil hectares de terras federais para o nome do Estado. Segundo a denúncia, essa mesma área indígena foi utilizada ilegalmente para criação de gado.

Em 2019, Antonio Denarium iniciou o trabalho de regularização fundiária, conforme prometeu em campanha aos produtores rurais. 

O beneficiado por essas ações do governador Antonio Denarium, é o seu próprio sócio, o pecuarista Ermilo Paludo, que segundo investigações, criou gado ilegal por mais de 20 anos em terras yanomamis. 

No ano seguinte, em 2020, Denarium concedeu à Paludo uma área de floresta pública para a criação de boi, mas uma nova decisão do Tribunal Regional Federal da 1 Região, negou recurso do Instituto de Terras e Colonização do Estado de Roraima (Iteraima) contra instauração de inquérito pelo Ministério Público Federal (MPF).

O MPF pretende investigar a transferência de terras em área de fronteira em Roraima. O caso discute a aplicação da Lei 14.004/2020, a qual dispensou o assentimento prévio do Conselho de Defesa Nacional em transferência de terras em faixas de fronteira. 

No ano passado, após uma denúncia de irregularidades na emissão de títulos de regularização fundiária, foi descoberta a situação relacionada à faixa de fronteira. 

Além disso, o governador Antonio Denarium ganhou as manchetes de todo o país por possível ligação com empresários responsáveis por desmatamento em terras yanomamis para criação de gado.

Os cinco sócios da empresa Frigo10, incluindo Antonio Denarium, receberam 18 multas ambientais entre os anos de 2005 a 2019, que somam mais de R$ 20 milhões. 

Veja a matéria completa do Sem Mordaça da TV Band Roraima: