Terça-feira, 28 Maio

O Projeto de Lei nº 181/2023, de autoria da deputada estadual Débora Menezes (PL), que concede o título de cidadã do Amazonas à ex-primeira dama Michelle Bolsonaro foi aprovado nesta quarta-feira, 26/4, durante votação em plenário, da Assembleia do Estado do Amazonas (Aleam). O título será entregue ainda neste primeiro semestre de 2023.

“Esta homenagem a Michelle Bolsonaro é o reconhecimento pelo trabalho que ela desenvolveu pelo Amazonas, enquanto presidente do conselho do programa Pátria Voluntária, com a distribuição de cestas básicas para famílias ribeirinhas, em situação de vulnerabilidade social, durante o período da pandemia de Covid-19, entrega de brinquedos e de equipamentos essenciais para organizações sociais, entre outras ações”, pontua Débora Menezes.

Ao longo dos quatro anos à frente do conselho do programa Pátria Voluntária, Michelle Bolsonaro viabilizou que organizações sociais, institutos, fundações entre outras entidades de atendimento a idosos, PcDs (Pessoas com Deficiência), pessoas em situação de rua, povos e comunidades indígenas, fossem atendidos pelo programa, com doações que suprissem suas necessidades pontuais, dando continuidade aos trabalhos desenvolvidos nestes espaços.

Iranduba, Boca do Acre, Eirunepé, Guajará e Ipixuna foram alguns dos municípios atendidos pelo programa, com a doação de cestas básicas ou recursos financeiros por meio de uma parceria com a Fundação Banco do Brasil, beneficiando pessoas em situação de rua ou em situação de vulnerabilidade social.

Em 2020, as mobilizações em prol dos menos assistidos já haviam rendido ao Amazonas, o prêmio Amigos do Pátria Voluntária, colocando o estado no 7º lugar no ranking do programa, com atendimentos de apoio às Organizações da Sociedade Civil (OSCs). Na ocasião, aproximadamente 50 instituições sediadas em Manaus estavam inscritas no Pátria Voluntária.

Manaus

Sensível ao período mais caótico vivido no Estado, a então primeira-dama Michelle Bolsonaro, mobilizou as embaixadas de Israel, do Reino do Bahrein e dos Emirados Árabes, por meio do programa Pátria Voluntária, com a doação de cestas básicas, equivalentes a 30 toneladas de alimentos, que foram distribuídas para mais de 14 mil pessoas, de comunidades ribeirinhas de Manaus. A ação realizada em fevereiro de 2021, contou com o suporte do Instituto Asas do Socorro, que liderou a entrega das doações, além de mobilizar os voluntários na capital amazonense.

Três meses depois, o programa Pátria Voluntária, coordenado por Michelle viabilizou a entrega de 2 toneladas de alimentos ao Instituto Filippo Smaldone – localizado no bairro Planalto, zona Oeste -, que atende crianças e adolescentes surdos ou deficientes auditivos, juntamente com o Fundo de Promoção Social (FPS) do estado. Na ocasião, o Lar Batista Janell Doylle, no Mauazinho, zona Leste, também recebeu 150 cestas básicas, doadas pelo Pátria Voluntária em parceria com o FPS.

Em dezembro de 2021, durante o período natalino, as instituições de atendimento às crianças em situação de vulnerabilidade social, do Amazonas, cadastradas no Pátria Voluntária, foram atendidas com a entrega de brinquedos, para serem distribuídos entre os pequeninos. 

Pioneirismo

Natural de Brasília, Michelle de Paula Firmo Reinaldo Bolsonaro, sempre foi engajada em causas sociais voltadas a PcDs, com destaque para os surdos-mudos. A sua atuação junto a esse público fez com que ela durante a posse do presidente da República Jair Messias Bolsonaro, em 1º de janeiro de 2019, discursasse em Linguagem Brasileira de Sinais (Libras).

Michelle além de ter sido a primeira-dama a discursar em uma posse presidencial, também foi a primeira a fazê-lo em Libras, dando mostras de seu engajamento com a causa, além de revelar o compromisso com o público mais desvalido, marca de sua atuação enquanto presidente do Pátria Voluntária.

A simplicidade e o engajamento em ações voltadas aos mais desvalidos, também chamaram a atenção com as eventuais distribuições de sopas, em áreas de extrema pobreza de Brasília, promovidas pelo programa coordenado por Michelle, que tinha como diretriz, mobilizar as pessoas para o trabalho voluntário.