Domingo, 26 Maio

Em meio a uma grave crise política no Governo de Antônio Denarium (PP),  principalmente na saúde pública, um dos principais gargalos da gestão, é a saúde pública. Mesmo diante de vários problemas, Denarium deixou de investir R$ 36 milhões em emendas parlamentares, segundo denúncia do deputado Jorge Éverton.

A declaração do deputado estadual Jorge Everton ocorreu após reunião da Comissão Permanente de Saúde e Saneamento, do qual o deputado é membro. “Vamos investigar para saber quais foram os problemas ocasionados pela falta de investimento desse recurso público que foi destinado para a saúde”, explicou. 

Mesmo diante de vários problemas e necessidades que vêm ocorrendo ao longo dos últimos quatro anos, o Governo de Roraima segue sem resolver a crise na saúde do Estado.

Na última segunda-feira (20), uma comissão formada por deputados estaduais visitaram à maternidade provisória, onde foi constatada vazamento de água sujeira e equipamentos com defeito

O Sem Mordaça tem denunciado inúmeros contratos da saúde sem licitação e suposto favorecimento  de empresas. Diante de tantas denúncias, os deputados estaduais pediram informações de 61 contratos da Secretaria de Saúde de Roraima (Sesau).

Na solicitação que ainda será colocada em votação, os membros do colegiado também querem receber, em até 15 dias, todos os aditivos e processos licitatórios, da dispensa ou da inexigibilidade aos contratos relacionados desde sua origem.

Além disso, a comissão quer informações sobre a execução dos contratos com a apresentação dos valores desembolsados para o seu cumprimento e serviços executados, com as justificativas e documentos comprobatórios.

Após a apresentação dos documentos, a secretária de Saúde, Cecília Lorenzon, será convocada para prestar esclarecimentos na comissão. Os deputados falaram sobre a privatização, a comissão faz seis questionamentos à secretária sobre o edital de chamamento público, publicado pelo Governo Estadual, para selecionar uma organização social em saúde para gestão e gerenciamento, operacionalização e execução das ações e serviços de saúde 24 horas por dia no Hospital Geral de Roraima (HGR), por até 60 meses. A despesa estimada é de quase R$ 430 milhões.

Caso os pedidos de informações sejam aprovados e a titular da Sesau descumpra o que for requisitado, ela poderá responder por crime de responsabilidade.