Quarta-feira, 29 Maio

O Governo do Estado de Roraima por meio da Secretaria de Estado de Saúde (Sesau), resolveu contratar por quase R$ 5 milhões uma empresa para elaboração de projetos, sendo que a própria pasta possui um setor específico para atender a demanda.

No documento, consta que é o segundo termo aditivo ao Contrato nº 90/2020, com objetivo de contratar empresa especializada em elaboração das peças técnicas e gráficas necessárias e indispensáveis à execução de obras públicas com tipologias e complexidades variadas e outras atividades correlatas, por unidades de medidas (m, m², m³, kva) por meio de Adesão da Ata de registro de preço n° 013/2019.

O Processo Licitatório n° 19/2019, foi a respeito do Pregão Presencial por registro de preço n° 013/2019, ÓRGÃO GERENCIADOR CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL MULTIFINALITÁRIO DA ÁREA MINEIRA DA SUDENE – CIMAMS, que entre si celebram o Estado de Roraima em conjunto com a Secretaria de Estado da Saúde e a empresa PAS-PROJETO, ASSESSORIA E SISTEMA.

De acordo com os dados do CNPJ n° 21.505.692/0001-08, a empresa contratada por Cecília Lorenzon, está localizada na Rua Vilagran Cabrita, no Centro, na cidade de Ji-Paraná, no Estado de Rondônia.

Segundo informações obtidas pelo Portal Alex Braga e Sem Mordaça da TV Band Roraima, a Sesau possui um setor, sendo a Coordenação de Engenharia, que é responsável por elaborar projetos. Porém, mesmo possuindo um setor específico, a secretária Cecília Lorenzon decidiu contratar o serviço.

Desta forma, a secretária Cecília Lorenzon continua autorizando contratações com suspeitas de favorecimentos e até com preços mais elevados aos praticados no mercado. Nos últimos meses, a Sesau tem sido foco de denúncias, principalmente de contratos na modalidade “emergencial” e “carona”.

Prisão

Em 2006, Wilson Basso, marido da secretária Cecília Lorenzon, gestora da Secretaria de Saúde de Roraima (Sesau), foi preso por receptação. Ele e um comparsa foram acusados e presos em flagrante por estarem com documentos falsos que autorizam o transporte de produtos florestais.

No inquérito policial, consta nos autos que em 05 de junho, os denunciados Wilson Fernando Basso recebeu e transportava em proveito próprio e alheio, coisas que sabiam serem oriundas de crime de falsificação de documento público.

O caso aconteceu no município de Porto Velho em Rondônia, no desdobramento das operações “Curupira” e “Ouro  Verde”, da Polícia Federal, que prendeu Fernando Basso em flagrante.