Quarta-feira, 24 Julho

De todas as estratégias mirabolantes dos políticos no interior do Amazonas, a saga da professora  professora Áurea, primeira-dama do município de Itamarati, e do marido dela, o prefeito João Campelo, vai figurar entre as mais impressionantes destas eleições: eles querem ocupar três lugares ao mesmo tempo.

Desafiando um princípio chamado “impenetrabilidade da matéria”, de Isaac Newton, no qual um corpo não pode estar em dois ou mais locais ao mesmo tempo.

Áuera mora em Itamarati, investe em uma mansão em Manaus e agora quer comandar a cidade de Eirunepé. A não ser que tenha sacado mão da Ciência e criado um clone, é impossível que o plano do casal dê certo. E muito menos seja pensado para favorecer a população do interior.

A série de revelações publicadas pelo Portal Alex Braga sobre o primeiro casal de Itamarati mostram que prefeito e primeira-dama podem não entender nada de Física, mas estão se especializando em dar nó cego.

Nos próximos dias serão publicadas novas suspeitas que recaem sobre o uso irregular de verba pública, obras não acabadas e manipulação da máquina, todos capazes de deixar o eleitor de orelha em pé.

Querendo morar em Manaus, e ter nas mãos as canetas de duas cidades do interior, Áurea e João Campelo vão tentando ofuscar as lentes da população, dos órgãos de controle e desafiando outro princípio básico da Física, que não deixa nenhuma matéria passar invisível:

Reversibilidade da Luz,

“Toda vez que vemos alguém por meio de uma espelho, com toda certeza essa pessoa também será capaz de nos ver.