Quarta-feira, 24 Julho

Quantas pessoas morrem por dia na cidade de Barreirinha, no interior do Amazonas? Pelas previsões macabras do prefeito Glênio Seixas, a maior parte da população, de pouco mais de 31 mil habitantes, está com o “pé na cova”. Ao menos é o que se deduz dos contratos de mais de R$ 1 milhão que ele assinou com duas empresas.

As revelações feitas pelo Portal Alex Braga nesta segunda-feira (8), ficam ainda mais sombrias e suspeitas após o aliado do governador Wilson Lima aditivar por mais 6 meses o contrato para “calçar” os futuros defuntos.

Glênio Seixas precisa explicar ao povo de Barreirinha como é que ele vai gastar R$ 1.267.950,00 em caixão, flores e translado de corpos. Nem na pandemia de Covid morreu tenta gente. Ou então ele sabe de alguma praga que os munícipes desconhecem, talvez alguma que circule nos corredores do prédio de onde o prefeito comanda a cidade.

Desse jeito, os vivos de Barreirinha jamais poderão descansar em paz.

Leia mais: Em plena estiagem, prefeitos do Amazonas investem milhões em artistas nacionais