Quarta-feira, 24 Julho

Manaus – O vereador e presidente da Câmara Municipal de Manaus, Caio André (UB), tentou destinar a emenda n° 023/2023 de R$ 563 mil, mas foi vetada, após ser identificada inconsistência de informações do Instituto Tecnológico, Mineração, Preservação Ecológica, Social, Cultural e Desportivo (Impesdam), que receberia a verba de emenda impositiva individual. No local, funciona uma assistência técnica.

A destinação da emenda de R$ 563 mil por Caio André para a Impesdam, seria realizada através da Secretaria Municipal da Mulher Assistência Social e Cidadania (Semasc). Mas acabou sendo vetada por inconsistência de informações do instituto.

Em maio, o Núcleo Investigativo do Portal Alex Braga, fez uma matéria exclusiva sobre esse repasse de meio milhão e revelou na época que o Instituto Impesdam, não possuía local de funcionamento como descrito na Receita Federal e tampouco fez trabalho assistencial já que nas redes sociais do instituto não se tem nada publicado.

Assistência Técnica e não Instituto…

O Instituto Tecnológico, Mineração, Preservação Ecológica, Social, Cultural e Desportivo (Impesdam) que receberia a emenda total de R$ 563 mil, estaria localizado na avenida São Jorge, bairro São Jorge, zona Oeste da capital amazonense. Como informou o Portal do Alex Braga, no endereço descrito funciona uma assistência técnica de celular, uma residência e não o Instituto.

Foto: Gabriel O. /Endereço descrito como IMPESDAM na Receita Federal

Leia Mais: Institutos fantasmas? Caio André destina mais de R$ 843 mil de emenda

Dados não batem

Conforme informações do site da Receita Federal, o Instituto inscrito sob o CNPJ 23.087.965/0001-69, foi aberto no dia 29 de julho de 2015 e sua principal atividade econômica é a de (serviços de assistência social sem alojamento).

O instituto tem no quadro de sócios e administradores Gean Balieiro de Souza, que aparece como presidente, e Paulo Roberto Viegas da Costa, no cargo de diretor.

O que diz Caio André

Após a repercussão, Caio André se manifestou por meio das redes sociais onde afirmou publicamente que não chegou a destinar a referida emenda parlamentar, uma vez que “os pré-requisitos não foram cumpridos pelo instituto, inclusive endereço de funcionamento”.

Diante da afirmação pública, o vereador não informou qual critério foi utilizado por ele para destinar essa emenda a Impesdam, também não esclareceu o valor exorbitante ao instituto e não procurou por informações de funcionamento do mesmo.

A pergunta que não quer calar: Foi feita alguma apuração à respeito do Instituto, que validasse a destinação dessa emenda, vereador? 
Se a imprensa não tivesse descoberto que o Instituto era de fachada qual seria a atitude do presidente da Casa do povo em ralação à emenda? Seria destinada assim mesmo?

A explicação não é ao Portal Alex Braga, é ao cidadão manauense.

Veja o documento da emenda n° 023/2023 na íntegra:

Leia Mais: Exclusivo: veja como Caio André usa e abusa da caneta de presidente da CMM

Envie sua denúncia ou sugestão para nossa linha direta pelo número (92) 98144-6017.