Quinta-feira, 25 Julho

Todas as denúncias expostas sobre os contratos e possível esquema instalado na Secretaria de Estado de Saúde de Roraima precisam e devem ser investigadas pela Polícia Federal, pelo Ministério Público Federal e Estadual. Será que a secretária Cecília Lorenzon pretende “fugir” do Brasil quando receber sua cidadania Italiana? Será que o cerco está fechando e Cecília está com medo de ser presa?

A famosíssima passagem bíblica “Dai, a César o que é de César, e a Deus, o que é de Deus” acabou virando ditado popular, e quer dizer que o homem deve atender as obrigações da vida material, respeitando as leis vigentes e honrando os compromissos assumidos.

Essa citação, proferida por Jesus em primeira pessoa, pode servir de análise sobre a situação da saúde pública do estado de Roraima, administrada pela secretária Cecília Smith Lorenzon que coleciona denúncias e suspeitas de irregularidades, com a benção do governador Antonio Denarium.

O assunto mais comentado no mundo político de Roraima é a possível intenção da secretária Cecília Lorenzon em abandonar o barco da saúde, seguindo em um cruzeiro luxuoso com serviço all-inclusive com destino final, a Itália.

“Dai, a César o que é de César”, são os milhões em contratos com suspeitas de superfaturamento e direcionamento, além da contratação de empresas investigadas e denunciadas pelos órgãos de controle, e ainda, um possível esquema criminoso montado e instalado na saúde pública.

Cecília Lorenzon, segundo informações, já possui a cidadania da Guiana Inglesa, localizada na costa do norte da América do Sul. Com esse documento, a pessoa possui o direito internacional, que representa o conjunto de direitos e deveres que um cidadão tem em um determinado território. Ou seja, pertencimento a um Estado-Nação.

Recentemente, o marido de Cecília, o empresário Wilson Fernando Basso, proprietário da UPMED FARMA – que era do empresário Roger Henrique Pimentel, investigado por desvio de recursos da Covid-19, – não está mais sendo visto em Roraima, assim como possivelmente, uma parte de sua família, já que segundo relatos, Cecília passa todo o final de semana fora do Estado.

As constantes saídas de Cecília Lorenzon, que não passa mais os feriados e finais de semana em Roraima, são para encontrar o marido Wilson Fernando em um destino incerto. Dizem que pode ser Brasília e Goiás, já que os dois foram vistos nos lugares muitas vezes.

As informações apontam que Cecília teria dado entrada em outro pedido de cidadania, desta vez, a Italiana. Ainda segundo a fonte, essa cidadania só seria “emitida” ou “estaria pronta” no mês de setembro.

Neste mês, a Secretaria de Saúde de Roraima publicou a intenção de contratar serviços de reformas para as unidades por R$ 104 milhões. O “arrendamento” do Hospital Geral de Roraima (HGR) por R$ 2 bilhões está sendo investigado, Contratação da MEDTRAUMA que foi investigada pelo desvio de R$ 35 milhões, Contrato de R$ 35 milhões firmado para fornecimento de refeições, o não investimento de R$ 36 milhões em emendas parlamentares, Contratação de R$ 7,5 milhões em equipamentos para shows, são alguns dos escândalos que fazem parte da extensa lista de denúncias.

As denúncias apresentadas e expostas pela imprensa, em especial pelo Portal Alex Braga e Sem Mordaça, estão mais próximas de revelar o que de fato acontece na Secretaria de Saúde de Roraima.