Quinta-feira, 25 Julho

Manaus é a capital com mais vagas (256) no novo edital do programa Mais Médicos, relançado em março deste ano pelo governo federal. Conforme o edital, o número de vagas é baseado no Sistema de Gerenciamento de Programas do Ministério da Saúde (SGP), do Ministério da Saúde.

A quantidade de vagas está prevista no edital publicado pelo Ministério da Saúde na semana passada. O programa vai oferecer 6.252 vagas para todo o Brasil.

Confira as capitais com maior oferta de vagas no edital:

  • Manaus (256 vagas)
  • São Paulo (150 vagas)
  • Boa Vista (134 vagas)
  • Fortaleza (91 vagas)
  • Rio de Janeiro (79 vagas)

O objetivo do programa é preencher vagas no Sistema Único de Saúde (SUS) para atendimento de atenção primária, em Unidades Básicas de Saúde (UBSs). As vagas estão autorizadas e foram distribuídas para cidades que desejarem renovar a participação ou aderir ao programa.

No edital atual, o Amazonas foi contemplado com 478 vagas do programa. Apesar da alta concentração na capital, o Mais Médicos também irá atuar em outros 57, dos 62, municípios do estado.

O edital reforça que cada município participante deve ter pelo menos um médico atuando.

Veja as cidades do Amazonas onde o edital oferta maior quantidade de vagas:

  • Benjamin Constant (11 vagas)
  • Coari (11 vagas)
  • Parintins (9 vagas)
  • Santa Isabel do Rio Negro (9 vagas)
  • Borba (8 vagas)

Confira a lista completa aqui.

Como funciona o edital

Cada cidade recebeu um número limite de vagas. Os municípios que confirmarem a participação deverão informar o total de profissionais que desejam receber. Esse número pode ser menor do que o limite autorizado pelo governo.

Após a confirmação do número de vagas, o Ministério da Saúde enviará aos municípios profissionais credenciados pelo programa.

O governo informou que deverá abrir outras 10 mil vagas até o fim deste ano, que terão contrapartida dos municípios.

O valor das bolsas deve continuar sendo o mesmo já oferecido atualmente pelo programa, de cerca de R$ 12,8 mil. Os médicos ainda recebem auxílio-moradia, que varia de acordo com a região onde atuarão.

Programa Mais Médicos

O Mais Médicos foi criado em 2013, durante o governo de Dilma Rousseff. Atualmente, são 18 mil vagas: 13 mil profissionais estão atuando e 5 mil postos estão desocupados.

O contrato de participação na iniciativa é de quatro anos, prorrogável pelo mesmo período. Ao todo, o investimento previsto pelo governo federal para este ano é de R$ 712 milhões.

A nova versão do projeto estabelece benefícios para incentivar a permanência dos médicos por longos períodos. Entre eles:

  • Para os médicos que ficarem ao menos 3 anos na vaga: possibilidade de pagamento de adicional de 10% a 20% da soma total das bolsas de todo o período que esteve no programa, a depender da vulnerabilidade do município;
  • Para médicos com formação pelo Fies: adicional de 40% a 80% da soma total das bolsas de todo o período que esteve no programa, a depender da vulnerabilidade do município. O benefício será pago em quatro parcelas, sendo 10% por ano durante os três primeiros anos, e os 70% restantes ao completar 48 meses;
  • Incentivo para médicos do Fies residentes em Medicina da Família, com auxílio para pagamento de dívidas do financiamento estudantil;
  • Complementar o valor da bolsa para mulheres em licença-maternidade que passarem a receber o auxílio do INSS, o que antes não ocorria;
  • Licença de 20 dias para licença-paternidade. Antes, não havia essa possibilidade;
  • Oferta de especialização e mestrado.

Fonte: G1