Quinta-feira, 25 Julho

Em decisão realizada nesta quarta-feira (1º). O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, negou pedido formulado pela defesa e manteve a prisão preventiva do ex-ministro da Justiça de Bolsonaro e secretário de segurança do Distrito Federal Anderson Torres. 

No entendimento do ministro, a prisão preventiva de Anderson é uma medida para garantir a ordem pública e a instrução criminal.

Na decisão, Moraes citou o posicionamento da PGR favorável à manutenção da prisão, ressaltando que o ex-ministro poderia colocar em risco o prosseguimento das investigações se colocado em liberdade.

Torres está preso desde janeiro, por suspeita de omissão diante dos atos golpistas do dia 8 daquele mês, quando bolsonaristas radicais invadiram e depredaram as sedes dos três poderes da República.