Terça-feira, 28 Maio

O político Coronel Menezes foi o entrevista desta sexta-feira (17), no programa Fiscaliza Geral com Alex Braga na Rede Onda Digital. Menezes falou sobre as próximas eleições e a relações entre governo e prefeitura.

Menezes se reuniu com o ex-presidente Bolsonaro na última semana e conduziu vários assuntos relacionados a política no Amazonas e no Brasil. Com uma votação expressiva na última eleição, ele não descartou a possibilidade de se candidatar a prefeito no próximo pleito.

“Eu estou no PL, que tem todo um processo de escolha de candidatos. Se falar que não somos um provável candidato, é querer tapar o sol com a peneira. E o presidente (Bolsonaro) vai apoiar alguém! Então temos todo esse cenário e vamos trabalhar bastante para que a gente possa corresponder as expectativas do povo da cidade de Manaus”, afirmou Menezes.

Sobre as alianças políticas entre governo e prefeitura, Menezes disse que David Almeida levou uma ‘pernada educada’ do governador Wilson Lima, após a mudança na presidência do PP, assumida por Rodrigo Sá, aliado do governador. David Almeida estaria perdendo apoio de grandes partidos.

“Foi um pernada educada do nosso governador no nosso prefeito. Porque é o prefeito que sabe jogar e tirou Wilson de 3%! O prefeito não teve participação nenhuma, ele é um brincante nesse aspecto. É aquele cara que quer ensinar os outros a jogar com sua arrogância e prepotência. Então acho que o governador Wilson lima foi muito gentil em dar essa pernada educada”, declarou.

Menezes continuou opinando sobre as relações no processo de reeleição e administração do atual prefeito. Para ele, é necessário ter um bom partido e alianças, mas nenhum grande partido estaria apoiando David Almeida, que mesmo com ‘a máquina’, pode não conseguir sucesso.

Sobre as alianças para as eleições municipais, Menezes disse que já abriu várias conversas com outros partidos, mas que algumas pessoas, não possuem valores éticos para essas relações, se referindo a Omar Aziz e Marcelo Ramos.

“Nesse momento, que estamos construindo um projeto para 2024, agente conversa cm todo mundo. Eu converso com o Sinésio Campos, sem problemas, mas agora tem pessoas que independente de partido político ou ideologia que você não tem valores morais e éticos. Não tem como conversar com meu adversário ao senado”, declarou.

Menezes descartou também uma aliança com o prefeito de Manaus.

“Eu não tenho dúvida porque eu convivi. Muito personalista, ditador, quer impor as coisas. Quando ele é atacado ele bloqueia. Manda jornalista se calar, manda professor se calar. Não sou eu quem estou dizendo, são os fatos que estão aí. Nesse momento eu não sentaria de maneira nenhuma porque eu eu não quero participar dessa política, disse.

O político encerrou a entrevista falando sobre a incerteza na nova administração na Suframa.

” É uma vergonha para o povo do Amazonas e eu não vejo ninguém falar sobre isso. Quem quer que vá substituir agora vai ter que trabalhar muito e realmente mostrar um trabalho de técnico competente porque é isso que se precisa naquela autarquia”, finalizou.