Quinta-feira, 25 Julho

A secretária Cecília Lorenzon contratou uma empresa para prestar serviços na Secretaria de Estado de Saúde, que já havia sido denunciada pelo Tribunal de Contas (TCE-AC) por suspeita de desviar dinheiro. Nesta sexta-feira (24), a Polícia Civil cumpriu ordens judiciais avaliadas em R$ 35 milhões de investigados por um esquema de fraudes e desvio de valores de empresas envolvidas na prestação de serviços médicos em hospitais de Mato Grosso.

O Portal Alex Braga e o Sem Mordaça denunciou no início do ano, mais um contrato firmado pela secretária Cecília Lorenzon. O contrato, publicado no Diário Oficial, no dia 30 de novembro de 2022, foi com a MEDTRAUMA SERVIÇOS MÉDICOS ESPECIALIZADOS LTDA, para atender as demandas cirurgias de ortopedia e traumatologia por mais de R$ 30 milhões.

Na época, a reportagem alertou a realização do contrato, inclusive apresentando a denúncia do Tribunal de Contas do Acre (TCE-AC) em 2021, que cobrou da empresa a relação de todas as notas fiscais que eventualmente foram emitidas, bem como as respectivas medições, notas de empenho e pagamentos no tocante da contratação emergencial, objeto da presente representação, os contratos superam os R$ 13 milhões.

Essa mesma empresa, contratada por Cecília Lorenzon, está envolvida na segunda fase da Operação Espelho, deflagrada pela Polícia Civil, em Mato Grosso. A estimativa é que a quadrilha que lucrava com os serviços médicos, tenha embolsado R$ 35 milhões com o esquema.

Segundo as investigações, as empresas que prestavam serviços médicos para hospitais municipais e estaduais de Mato Grosso, inclusive no Hospital Metropolitano, em Várzea Grande, passaram anos lucrando com os esquemas de fraudes e desvio de valores dos contratos.

A Polícia Civil apreendeu 36 carros de luxo e 20 imóveis avaliados em R$ 35 milhões de investigados. As ordens judiciais incluem a proibição de novas contratações e da suspensão de contratos e pagamentos em vigência. Também foram bloqueadas casas e lotes em condomínios de luxo, além de fazendas no estado. As apreensões, sequestro e bloqueios foram cumpridos pela polícia em Alta Floresta, Colíder, Cuiabá, Peixoto de Azevedo, Várzea Grande e Sinop.

As investigações da Operação Espelho começaram após uma denúncia encaminhada à Delegacia Especializada em Combate à Corrupção (Deccor), informando que a empresa contratada para fornecer médicos plantonistas para o Hospital Metropolitano de Várzea Grande, estaria enviando número menor de profissionais do que aquele previsto em contrato.

O contrato firmado por Cecília Lorenzon, por Adesão de Ata de Preço, com a MEDTRAUMA SERVIÇOS MÉDICOS ESPECIALIZADOS LTDA, de Mato Grosso, foi no valor de R$ 30.205.995,96, para atender as demandas cirurgias de ortopedia e traumatologia.