Terça-feira, 28 Maio

O estado de Roraima foi palco da crise humanitária envolvendo indígenas que não tiveram a devida atenção dos órgãos competentes, os Yanomamis. A área, que ocupa partes dos estados de Roraima e Amazonas, é marcada por garimpo ilegal de ouro e cassiterita, violência sexual de mulheres e crianças, ameaças de morte e desestruturação dos postos de saúde.

Os recursos para o setor sempre existiram. O Programa de Proteção e Recuperação da Saúde Indígena teve um orçamento de R$ 6,13 bilhões no ano passado, desse montante, R$ 5,44 bilhões foram de fato gastos.

Dados do Portal da Transparência mostram que foram destinados ao grupo Yanomami em Roraima R$ 51 milhões de um orçamento de R$ 59 milhões em 2022. Segundo o líder do povo Yanomami, grande parte desta verba foi utilizada para contratação da empresa VOARE TÁXI AÉREO, de transporte aéreo como aviões e helicópteros que levam médicos e funcionários para dentro da área indígena.