Quinta-feira, 25 Julho

O Governo Federal direcionou entre 2020 e 2022, mais de R$ 96 milhões para cinco municípios do estado de Roraima, que estão em terras indígenas. Sem a atenção necessária dos órgãos competentes, a fome, a desnutrição, doenças e a morte, assolaram o povo yanomami, que vive na maior área indígena demarcada no mundo.

Os recursos para o setor sempre existiram, somente no ano passado, o programa de proteção e recuperação da saúde indígena teve orçamento de R$ 6,13 bilhões.

Dados do Portal da Transparência, também mostram que foram destinados ao povo yanomami, em Roraima, R$ 51 milhões, e um orçamento de R$ 59 milhões em 2022, para outras atividades.

Na última semana, o senador Chico Rodrigues (PSB) foi eleito como presidente da Comissão Temporária Externa pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), para buscar resolver o problema está sendo um dos principais assuntos discutidos pela política nacional, de quem está por trás dessa quase extinção do povo yanomami.

Chico Rodrigues foi eleito senador de Roraima em 2018, como presidente da Comissão deve acompanhar a saída dos garimpeiros das terras yanomamis, no prazo de até 120 dias.

No ano passado, Chico Rodrigues integrou a Comissão que apura violência contra os povos indígenas por garimpeiros na terra indígena yanomamis. Na época, chegou a declarar ser favorável ao garimpeiro e a legalização da atividade em terras indígenas.

Júnior Hekurari, líder yanomami, em uma entrevista, disse que a maior parte dessa verba foi utilizada para a contratação de empresas de transporte aéreo, como aviões e helicópteros, que levam médicos e funcionários à região.

Um levantamento apontou que cinco municípios de Roraima que possuem terras indígenas, sendo Alto Alegre, Amajarí, Caracaraí, Iracema e Mucajaí, receberam entre 2020 a 2022, R$ 96,3 milhões em emendas do relator-geral, do chamado “orçamento secreto”.

Os recursos foram encaminhados aos cofres das prefeituras, por deputados federais e senadores. O maior valor direcionado foi para o município de Alto Alegre, que recebeu mais de R$ 36,8 milhões nos últimos três anos. Em seguida, vem a cidade de Caracaraí, com E$ 23,2 milhões; Amajarí com R$ 22,7 milhões; e por último Iracema com R$ 13,5 milhões.