Terça-feira, 28 Maio

O vereador Lissandro Breval (Avante), foi o entrevistado desta terça-feira (7), no programa Fiscaliza Geral com Alex Braga na Rádio Onda Digital. Breval falou dos desafios da Legislatura na Câmara Municipal de Manaus (CMM). Lissando foi o primeiro vereador que disse que era independente na Câmara e colocou o nome à disposição dentro da CMM. Para o vereador o importante é estar com a população e mostrar resultados.

“Mais importante é dizer que a Câmara não está contra o Prefeito. A gente tá a favor da população. Eu acho que o desafio da câmara é votar projeto importantes para a população, importante para a prefeitura executar algum serviço, mas não perder a sua essência. Eu acho que esse é a grande importância. Eu não estou contra o prefeito, nosso diálogo é aberto. Eu acho que isso que tem que ser legislativo, tem que ser independente para os dois poderes aí poderem andar lado a lado de forma e que a população vá ver realmente o resultado”, disse o vereador.

Nos últimos dois anos, a CMM esteve na mídia de forma negativa, dentre os temas, o polêmico e famoso ‘puxadinho’ de R$ 32 milhões. Lissandro disse que no biênio de David Reis houveram muitos acertos, mas que o ex-presidente errou ao não estar junto aos acontecimentos na mídia e também da população. Para o vereador. o grande desafio da nova gestão e dos vereadores é fazer uma Câmara para a população.

Conforme o vereador, a missão da transparência, divulgada pelo presidente Caio André já deve estrar em execução. Nesta terça-feira(7), os trabalhos na CMM estão voltados para as comissões.

Outro assunto destacado durante a entrevista tratou dos contratos realizados pela gestão anterior da CMM. O Ex-presidente, renovou contratos que foram criticados pela população e com muitas suspeitas. Lissandro disse que os contratos serão revisados e o que estiver errado deve ser cancelado.

” Existe uma comissão dentro da Câmara hoje fazendo essas revisão. O objetivo dessa gestão é tornar mais claro possível a gestão da Câmara. O que for errado, vai ser cancelado imediatamente. Existe esse movimento na Câmara. Eu acho que precisamos dar essas resposta para a população”, relatou o vereador.

Ainda durante e entrevista, o vereador explicou se as demandas enviadas pela população, principalmente relacionadas à infraestrutura, ainda estavam sem atenção da gestão municipal, conforme questionado pelos próprios vereadores.

“Sendo muito realista, é humanamente impossível realizar tudo. A gente tem que escolher qual a mais grave. A  Prefeitura não tem estrutura. As demandas são todo dia. Não vão acabar. Temos bairros crescendo sem planejamento, então já começa tudo errado”, explicou o vereador.

A proposta do vereador é criar um comissão para fiscalizar o poder público, que tem como objetivo dar celeridade às demandas de fiscalização e ter uma ferramenta que dê uma resposta mais rápida para a população, além da agilidade dentro da Câmara Municipal para cobrar. A proposta ainda aguarda aprovação.

O vereador e terceiro vice-presidente da CMM agradeceu a confiança dos parceiros e reforçou a parceria junto a presidência. Além de julga positivas as relações com o governo do Estado e Assembleia Legislativa do Amazonas.