Quinta-feira, 25 Julho

Senadores de diversos partidos lamentaram a morte do ex-senador e ex-governador do Amazonas Amazonino Mendes. O político, que foi ainda prefeito de Manaus, tinha 83 anos e morreu no domingo (12) no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. Parlamentares foram às redes sociais para homenagear Amazonino e ressaltar seu legado para Amazônia.

“O Brasil perde um relevante homem público com a morte de Amazonino Mendes. O nome de batismo já indicava sua predestinação para se tornar um dos filhos mais ilustres do Amazonas ao ocupar, por mais de uma vez, o cargo de governador, além de ter sido senador e prefeito de Manaus. Amazonino caracterizou a sua vida pública por diversas iniciativas que proporcionaram um vigoroso crescimento econômico e social do Amazonas. Presto meus sentimentos aos familiares, aos amigos e aos admiradores”, afirmou o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco. 

Amazonino estava internado desde dezembro passado em razão de uma crise de diverticulite (inflamação no intestino grosso) e uma pneumonia. Ele nasceu em Eurinepé (AM) e fez longa carreira política assumindo vários cargos públicos como prefeito de Manaus por três vezes, governador do Amazonas por quatro mandatos e senador da República entre 1991 e 1992, quando renunciou para assumir a prefeitura da capital amazonense. 

O conterrâneo do ex-governador, senador Plínio Valério (PSDB-AM), destacou essa trajetória. Para ele, Amazonino entrou para a história do Amazonas e marcou a vida dos amazonenses pelo seu trabalho. 

“Nascido também em Eirunepé, compartilhávamos o amor pela calha do Juruá. Na política, navegamos quase sempre em barcos diferentes, mas sempre no mesmo rio. Compartilhava com ele o amor pelo Amazonas, que sempre foi o combustível de sua luta. Nesse momento de tanta incerteza, vai fazer falta a todos nós que lutamos e amamos o Amazonas. Que Deus o receba em sua infinita bondade e abençoe e conforte o coração dos três filhos, familiares, amigos e admiradores”, escreveu Plínio. 

Também representante do estado do Amazonas, o senador Eduardo Braga (MDB), ressaltou a relevância de Amazonino e de sua liderança política na vida das últimas gerações de amazonenses. 

“Sua trajetória permanecerá para sempre como uma bússola para quem alimenta o genuíno propósito de servir a população, especialmente a menos favorecida, a que habita as periferias das metrópoles e os rincões mais distantes da Amazônia. Em outros momentos, em campos opostos. Mas sempre primando pelo respeito e partilhando de um imenso amor pelo nosso estado. Suas vitórias, suas derrotas, seus acertos e erros são fontes inesgotáveis de inspiração”. 

O senador Omar Aziz (PSD-AM) lembrou como foi a construção de sua relação com Amazonino durante os anos de vida pública. 

“Conheci o Amazonino nos anos 1980. Eu no movimento estudantil, ele prefeito de Manaus nomeado pelo Gilberto Mestrinho. Desde então, já fomos aliados e já estivemos em lados opostos, como determina a democracia. O respeito e a admiração sempre foram marca dessa relação. Aos amigos e familiares, em nome do filho Armando, meus sentimentos de solidariedade neste momento de profunda dor”, disse. 

Outros senadores também homenagearam Amazonino.

“Jamais esqueceremos seu legado. Que Deus o receba em Sua infinita glória, amigo Amazonino Mendes”, disse Chico Rodrigues (PSB-RR). 

“Com tristeza recebi a notícia do falecimento do ex-prefeito de Manaus e ex-governador do Amazonas Amazonino Mendes, com quem convivi por muitos anos na vida pública. Minha solidariedade à família e amigos”, afirmou Jader Barbalho (MDB-PA). 

“Era um grande amigo e habilidoso líder político. Querido e conciliador. Amava a região Amazônica (…). Deixa um legado de grande homem público que contribuiu muito para o desenvolvimento da Amazonia. Sua partida deixa muita tristeza e saudade. Compartilho com as dores da sua família e de todos os seus amigos”, lamentou Confúcio Moura (MDB-RO).

Fonte: Agência Senado