Quarta-feira, 24 Julho

Em 2006, Wilson Basso, marido da secretária Cecília Lorenzon, gestora da Secretaria de Saúde de Roraima (Sesau), foi preso por receptação. Ele e um comparsa foram acusados e presos em flagrante por estarem com documentos falsos que autorizam o transporte de produtos florestais.

No inquérito policial, consta nos autos que em 05 de junho, os denunciados Wilson Fernando Basso recebeu e transportava em proveito próprio e alheio, coisas que sabiam serem oriundas de crime de falsificação de documento público.

O caso aconteceu no município de Porto Velho em Rondônia, no desdobramento das operações “Curupira” e “Ouro  Verde”, da Polícia Federal, que prendeu Fernando Basso em flagrante.

Wilson Fernando Basso e José Guarino Morinigo Oliveira, no momento em que retiravam encomenda da TAM CARGAS, empresa situada no centro da capital de Porto Velho, contendo nove autorizações de Transporte de Produtos Florestais, todos falsificados.

Foi flagrado em poder de Wilson Fernando Basso e José Guarino Morinigo Oliveira, seu comparsa, farta prova de que os denunciados tinham pleno conhecimento da origem criminosa dos documentos apreendidos.

Através do Laudo de Exame Documentoscópico, que concluiu serem inautênticos os referidos documentos. A autoria se verifica pelos Auto de Prisão em Flagrante, no Termos de Depoimentos e Interrogatório. Assim agindo, a dupla incorreram nas penas do artigo 180, do Código Penal Brasileiro.

Conforme o inquérito policial, foram flagrados em virtude dos crimes de formação de quadrilha ou bando, falsificação de documentos públicos e receptação. 

Depois de soltos e em liberdade, os dois continuaram sendo alvo de investigações, pois existiam indícios de que ambos não deixaram de praticar os mesmos crimes, que consistia, entre outras condutas ilícitas, no comércio de Autorização para Transporte de Produtos Florestais (ATPF), falsas ou falsificadas.

“QUE o  crime gerou um prejuízo ao IBAMA, que é urna Autarquia Federal, responsável pela emissão dos referidos documentos públicos; QUE através do trabalho investigativo,  foi reconhecido que JOSÉ GUARINO MORINIGO OLIVEIRA E WILSON FERNANDO BASSO, vieram de Ji-Paraná/RO, para a cidade de Porto Velho/RO, para receber urna remessa de documentos de ATPF falsas, enviadas de Cuiabá/MT, para capital”.

No momento da prisão de Wilson chegou a ligar para sua esposa, a atual secretária de saúde de Roraima, Cecília Lorenzon e confirmou que as notas eram falsas. Wilson foi levado ao Presídio Federal Urso Branco, mas rapidamente conseguiu um alvará de soltura. Conforme os autos do processo, o comparsa de Wilson foi absolvido, mas Basso foi condenado.

Com isso, foi fixada a pena-base em dois anos e oito meses de reclusão e oitenta dias-multa. Por força da atenuante da confissão, reduzo as penas em 6 meses e 30 dias­ multa. Assim, restam as penas estabelecidas, em definitivo, em 2 anos e 2 meses de reclusão e 50 dias-multa.

Já se passaram 17 anos, e o inquérito continua sendo que a última movimentação do processo foi em 31 de janeiro deste ano.

Veja o processo na íntegra que levou para cadeia marido da secretária de saúde de Roraima.