Quarta-feira, 24 Julho

O prefeito de Manacapuru, Beto D’Ângelo, foi notificado a suspender os sorteios de motos que pretendia realizar durante as comemorações do 92º aniversário do município, burlando as restrições vigentes em pleno período eleitoral.

O prefeito já havia sido advertido pelo Ministério Público sobre autopromoção em período inadequado para propaganda eleitoral, mas mesmo assim insistiu na distribuição de motos na cidade.

Leia mais: Ex-gestor do Fundo de Educação de Manacapuru tem contas reprovadas pelo TCE-AM

Nas redes sociais da Prefeitura, a população cobra trabalho e estrutura na cidade, em vez de sorteio de moto.

Após representação do Ministério Público Eleitoral (MPE), via Ministério Público do Amazonas (MPAM), a programação suspeita foi proibida. De acordo com o MP, a tática aponta “a prática de condutas vedadas pela legislação eleitoral”.

A festa ocorrerá nos dias 13, 14, 15 e 16 de julho. Além de solicitar a suspensão do sorteio, que poderia favorecer os gestores em período eleitoral, o órgão requereu à Justiça Eleitoral multa por autopromoção indevida. O MPAM aguarda decisão judicial.

De acordo com a promotora Eleitoral de Manacapuru, Marcelle Cristine de Figueiredo, o prefeito Beto Dângelo tomou conhecimento da representação ministerial e decidiu se antecipar.

“A suspensão do sorteio das 15 motos na festa de aniversário de Manacapuru foi divulgada, em nota, como uma medida voluntária por parte do prefeito, mas, na realidade, foi resultado de uma representação que apresentei à Justiça Eleitoral. Acreditamos que, ao tomarem conhecimento da possibilidade de aplicação de multa, decidiram cancelar o sorteio”, destacou.

AUTOPROMOÇÃO COM MOTOS

A Prefeitura de Manacapuru divulgou amplamente, por meio das redes sociais oficiais do Executivo e sites de notícias, a programação com atrações nacionais e o sorteio da festa, agendada para ocorrer no complexo Parque do Ingá.

“No citado evento em comemoração ao aniversário da cidade, além de ter sido anunciada publicamente a realização de diversos shows de artistas famosos, com altos cachês e reconhecidos no âmbito local e nacional, durante festejos que se prolongarão por quatro noites, ainda foi expressamente divulgado o sorteio de 15 motos 0 KM”, afirmou a promotora.

Para o MPE,

“o sorteio de brindes durante o referido evento promovido pela prefeitura, a menos de três meses das eleições municipais, caracteriza vantagem eleitoral ao gestor público e, consequentemente, aos seus candidatos, uma vez que os seus nomes já foram publicamente divulgados e já são conhecidos pelo eleitorado”.

Em sua representação, a promotora afirmou que

“tal ato deliberado demonstra desrespeito às normas eleitorais uma vez que viola a igualdade de oportunidade que todos os candidatos devem ter. É inevitável, até por bom senso, que o sorteio de bens realizado pela prefeitura vincule o ato aos representantes do Executivo, candidatos aos cargos em disputa nas eleições municipais”.

A representação se baseou no artigo 73 da Lei n.º 9.504/97 e na Resolução n.º 23.735/2024, que proíbe a distribuição de bens por parte da administração pública em períodos próximos às eleições. Além do sorteio, a representação também abrange a propaganda institucional, proibida desde o último dia 6 de julho.

Por fim, o MPE solicitou também a interrupção de toda a publicidade relacionada ao evento nas mídias da prefeitura e a aplicação de multas ao prefeito e à vice-prefeita, que é candidata nas próximas eleições.

Sorteio


A Prefeitura de Manacapuru ainda divulgou nota informando que a medida foi adotada em conformidade com a legislação eleitoral e “lamentando” o fim da autopromoção.

Mas não comentou as reclamações dos moradores.