Quinta-feira, 25 Julho

O Governo de Roraima por meio da Secretaria de Estado de Saúde contratou por inexigibilidade uma empresa do Amazonas para prestar serviços de manutenção corretiva hospitalar, ao invés de pagar mais barato no contrato com uma empresa de Boa Vista. Por mês, a nova empresa recebe mais de meio milhão pelos serviços, enquanto a do contrato antigo cobrava cerca de R$ 20 mil.

O contrato n°408/2022 da Sesau é para contratação de empresa especializada em manutenção preventiva e corretiva em equipamentos das marcas Maquet, Nihon Kohden e Linet para atender as necessidades das unidades hospitalares do estado.

A empresa BELFORT COMÉRCIO E REPRESENTAÇÃO DE PRODUTOS MÉDICOS E ODONTOLÓGICOS LTDA, inscrita no CNPJ nº 84.012.012/0001-26, está localizada na rua do Comércio, nº. 89, Conjunto Castelo Branco, no bairro Parque 10 de Novembro, na cidade de Manaus, no Amazonas.

Nos serviços de “MANUTENÇÃO PREVENTIVA”, será pago R$ 4.495.943,64, para “MANUTENÇÃO CORRETIVA COM TROCA DE PEÇAS”, é o valor de R$1.798.377,45. Ao todo, a BELFORT COMÉRCIO vai receber o valor total R$ 6.294.321,09 (seis milhões, duzentos e noventa e quatro mil, trezentos e vinte e um reais e nove centavos).

Em uma pesquisa, é possível verificar que existia outra empresa que prestava o mesmo serviço com valor bem inferior ao contratado pela secretária de saúde, Cecília Lorenzon.

A Sesau cancelou os serviços do Contrato n° 72/2020 com a FEMAX SERVIÇOS E COMÉRCIO EIRELI, realizado por meio de Pregão Eletrônico. Depois, contratou por inexigibilidade a BELFORT COMÉRCIO.

No comparativo dos valores cobrados pelos serviços, é possível verificar que a BELFORT cobrou pelo “VENTILADOR PULMONAR” o valor de R$ 2.343,04, enquanto a outra empresa, FEMAX, cobrava R$ 100.

No “MONITOR MULTIPARAMÉTRICO” é pago R$ 997,40, contra os R$ 30 do antigo contrato. O “FOCO CIRÚRGICO” custa R$ 1.649,52, no contrato anterior era pago R$ 19. No “DESFIBRILADOR/CARDIOVERSOR” é pago R$ 997,40, antes era R$ 60. Na “CAMA FAWLER PARA UTI” é pago R$ 836,15, contra R$ 40. Na “MESA CIRÚRGICA” é pago R$ 2.138,07 contra R$ 70 que era cobrado no antigo contrato.

Ou seja, apenas nesses serviços é possível ver o possível sobrepreço dos itens, como é o exemplo do “VENTILADOR PULMONAR” que era pago R$ 100, e neste novo contrato por inexigibilidade, custa R$ 2.343,04. São 2.143,04 a mais pago pelo mesmo serviço.

A BELFORT COMÉRCIO está recebendo mais de meio milhão de reais por mês, enquanto a Sesau poderia traçar estratégias para economizar, e arcar com um contrato de cerca de R$ 20 mil a R$ 30 mil por mês.